Governo do Distrito Federal
21/10/21 às 20h38 - Atualizado em 5/09/22 às 16h35

Serviço social é recebido pelo Fórum Econômico Pós-pandemia

O Fórum Econômico Pós-Pandemia desta quinta-feira (21), recebeu representantes do serviço social e de entidades ligadas ao setor. O encontro está na sua nona edição e busca dialogar com os setores econômicos para debater soluções para os problemas agravados pela pandemia da Covid-19.

 

Durante o Fórum, o secretário de Economia, André Clemente, falou sobre a importância de união entre os setores econômicos e sociais e ressaltou os avanços do GDF nesta área. “Temos investido na criação de um ambiente econômico favorável, na melhor distribuição de renda e na promoção da inclusão de pessoas em vulnerabilidade”, disse.

 

De acordo com o secretário, as diversas medidas sociais adotadas no DF têm sido reconhecidas como modelo por outros entes. “Com o nosso modo de tratar a economia e o desenvolvimento social, nós temos inspirado a União, além de outros estados e municípios. E com isso temos feito muitas coisas”, afirmou.

 

Clemente enfatizou a importância da participação do serviço social no Fórum Econômico e do trabalho realizado pelas entidades de assistência social. “A maior preciosidade de qualquer entidade ou instituição, seja ela pública ou privada, são as pessoas. E unidas num propósito nós temos condições de mudar o mundo, não só o DF, não só o Brasil, mas o mundo”, destacou.

 

Um dos representantes do serviço social, o presidente do Instituto Barba na Rua, Rogério Barba, elogiou a iniciativa do Fórum. “O GDF abriu as portas pra nós que viemos das ruas e isso é muito importante porque nós precisamos ter voz, e nós conseguimos falar por nós. O governo tem trazido a população para este diálogo, para além dos benefícios”, destacou. Segundo ele, é preciso trabalhar as políticas públicas para a população de rua, que aumentou por causa da pandemia. “Especialmente em projetos de geração de emprego e renda”, concluiu.

Representantes do serviço social falaram sobre desemprego e programas sociais, além da necessidade de capacitação de jovens e das políticas para população de rua, entre outros assuntos.

 

O Fórum Econômico “A Economia Pós-Pandemia” é promovido pela Secretaria de Economia (Seec) e pelo Conselho Permanente de Políticas Públicas e Gestão Governamental (CPPGG-DF). Esta foi a nona edição do módulo Na Hora de Ouvir, que tem como objetivo incentivar o diálogo com os setores econômicos em busca de alternativas para impulsionar a economia local e superar os efeitos da pandemia da Covid-19.

 

As propostas do setor de serviço social foram ouvidas pelos representantes do governo – os secretários de Economia, André Clemente; de Desenvolvimento Econômico do DF, Márcio Faria Júnior; de Projetos Especiais do DF, Roberto Vanderlei; da Mulher, Ericka Filippelli; da Pessoa com Deficiência, Flávio Santos; e pela diretora técnica do Sebrae-DF e secretária executiva do CPPGG-DF, Rose Rainha; além da secretária executiva da Valorização e Qualidade de Vida da SEEC, Adriana Faria; do presidente da Codeplan, Jean Lima; da pesquisadora da Codeplan, Jéssica Milker; da subchefe de Políticas Sociais e Primeira Infância do GDF, Anucha Soares; e do secretário executivo da Sedes, Thiago Pinheiro.

 

Pelo setor de serviço social compareceram mais de 20 representantes. Entre eles, o presidente da Casa do Ceará, José Sampaio Jr; o presidente da Ação Social do Planalto, Natanry Ludovico Osório; o coordenador de Projetos e gestão do Hotelzinho São Vicente de Paula, Ademar Luiz; o presidente do Instituto Doando Vida, Henrique Andrade; a Pastoral do Surdo, Padre Edinaldo; o presidente da Federação de Umbanda e Candonblé do DF, Rafael Moreno; o representante do conselho de Pastores Evangélico do DF, Elias Castilho; o presidente do Instituto Barba na Rua, Rogério Barba; a conselheira do CPPGG, Ilda Peliz; o presidente do Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente, Eduardo Chaves; o soberano da Maçonaria Grande Oriente do Brasil, Múcio Bonifácio; o grão-mestre Maçonaria Grande Oriente do DF, Reginaldo Albuquerque; o representante da Comunidade das Nações, pastor Tiago Carneiro; o presidente da Federação Espírita do DF, Paulo Maia; a presidente da Casa Azul, Esther Shirlys; a presidente da Abrace, Maria Ângela Marini; dentre outros.

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Social da Secretaria de Economia

Governo do Distrito Federal